Chamada para propostas de projetos na área de Ciência da Informação

A Emerald Group Publishing Limited, em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) oferece um prêmio para o projeto que melhor contribuir para o desenvolvimento da área de Ciência da Informação no Brasil.

O prêmio de US $3,000 está disponível para pesquisas que tenham como objetivo o desenvolvimento do Brasil.

O vencedor poderá, ao final do projeto, submeter um artigo com os resultados da pesquisa a um de nossos renomados periódicos em Ciência da Informação. A publicação de um artigo não é obrigatória. Menções honrosas também podem ser concedidas.

Os projetos devem abordar uma das seguintes áreas:

  • Recuperação de Informação
  • Informação & Sociedade
  • Informática
  • Serviços de Referência / Serviços de Informação
  • Classificação e Catalogação
  • Acesso à Informação
  • Gerenciamento da Informação
  • Sistemas de Informação e Tecnologia
  • Gerenciamento de Biblioteca
  • Métodos de Pesquisa
  • Coleções e Conservação
  • Política de Informação
  • Desenvolvimento Profissional / Formação
  • Gestão do Conhecimento
  • Impressão e Publicação
  • Treinamento de Usuários
  • Tipos de Bibliotecas
  • Bibliotecas Digitais e Inovação
  • Pré-requisitos

Datas Importantes

A data limite para as inscrições é 30 de agosto de 2013

Os candidatos serão notificados do resultado até 30 de oututro de 2013

Mais informações: http://www.emeraldinsight.com

 

Anúncios

Novo livro sobre Análise de Redes Sociais

Livro Analyzing Social NetworksEscrito por Stephen Borgatti, Martin Everett e Jeffrey Johnson, o livro “Analyzing Social Networks”  descreve como coletar, visualizar, analisar e interpretar dados de redes sociais, com ênfase na utilização do software UCINET e do Netdraw.

O livro inclui uma introdução clara e detalhada dos conceitos fundamentais de análise de redes sociais, bem como capítulos que mostram como aplicar conceito de rede social para diferentes tipos de redes.

Link para Amazon Books: http://amzn.to/1926Ds5

Pequeno glossário pessoal sobre tópicos de ciência da informação

Aldo Barreto, célebre pesquisador do campo da Ciência da Informação (CI), fez uma revisão de conceitos e ideias desenvolvidas no campo da CI.   O pesquisador destaca que “tem sido sempre uma dificuldade para a área de ciência de a informação formular conceitos e teorias que sejam de consenso para seu grupo de pesquisadores atuantes” Para Aldo Barreto é essencial não deixar de lado as questões conceituais: entre outras coisas a teoria explica a prática, mas é a aplicação prática que coloca em um mesmo tecido sua consistência e sentido de pertencimento a um todo coerente e adverte que este é um quadro conceitual dele e não um consenso nesta área.

Link para o texto: http://abarretolexias.blogspot.com.br/2013/07/pequeno-glossario-individual-sobre.html

Fonte: Google Grupos | CInforme

Chamada de artigos sobre acesso à informação governamental

A Liinc em Revista está recebendo artigos, até 15/07/13, para o no. 2, vol. 10, de novembro de 2013, no endereço http://www.ibict.br/liinc . O número conterá dossiê, organizado pelos profs. José Maria Jardim e Ana Celeste Indolfo, sobre o tema “Acesso à Informação Governamental” . Veja a ementa a seguir.

Ementa: O acesso à informação governamental tem sido um tema recorrente na agenda política brasileira, desde que inserido no processo de democratização do país nos anos de 1980. Ao longo de três décadas, ganhou territórios significativos na produção de conhecimento acadêmico e nas propostas de alguns partidos e movimentos sociais.

Consagrado na Constituição de 1988, o acesso à informação governamental esperou vinte e três anos para ser regulamentado. A Lei de Acesso à Informação (LAI), aprovada em 2011, suscita debates em torno das suas possibilidades reais, especialmente quando considerada a opacidade informacional do Estado como um dos modus operandis do exercício do poder no Brasil ao longo de toda a sua história. Neste cenário, entre outras questões, algumas emergem com mais frequência:

  •  Como minimizar a distância entre a ordem informacional do Estado, suposta pela LAI, e os enormes bolsões de opacidade expressos na desordem informacional vigente nos órgãos públicos?
  • Que políticas podem apontar para programas e processos que assegurem a transformação do cenário informacional do Estado brasileiro?
  • Que atores e agências seriam capazes de formular uma agenda para a formulação de políticas públicas de acesso à informação? Quais os atores e agências incumbidos da implementação e avaliação dessas políticas? Como equacioná-las face às especificidades e embates inerentes à federação e à divisão de poderes no Brasil?
  • Quais os cenários para a contribuição de conhecimento acadêmico sobre a LAI e seus possíveis impactos em políticas e práticas informacionais? Quais os campos de conhecimento que tem se ocupado do tema de forma mais frequente e com quais abordagens?
  • Quais os diálogos (ou ausência destes) entre a LAI, as ações de Governo Aberto, Dados Abertos, Governo Eletrônico, a construção do marco civil da internet e a busca por mecanismos de proteção de dados sobre a vida privada?
  • Como tem sido a aplicação da LAI nos planos federal, estadual e municipal desde a sua regulamentação em maio de 2012? Como a estruturas estatais de informação têm atuado neste sentido? Quais as demandas sociais mais evidentes?
  • Como a rede de atores (Associações profissionais, ONGs, parlamentares, etc) que articulou iniciativas pela aprovação da LAI na última década tem atuado nos primeiros momentos de aplicação da Lei?
  • Quais políticas e práticas informacionais emergem com inovadoras no cenário da LAI e apontam para cenários de transparência do Estado?

Um tema dessa amplitude suscita várias outras questões e certamente requer diferentes olhares. Um número da Liinc em Revista a respeito poderá sugerir novos debates ao reconhecer algumas dessas questões sobre o acesso à informação governamental num cenário histórico emergente.

Fonte:  PPGCI – Ibict/UFRJ

A pesquisa em Comunicação e Saúde no Brasil: entrevista com Inesita Araújo

Inesita Araújo, pesquisadora do Laboratório de Pesquisa em Comunicação e Saúde do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Laces/Icict/Fiocruz) , professora e ex-coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Informação e Comunicação em Saúde, fala sobre a pesquisa no campo da Comunicação e Saúde no Brasil.